Existem duas grandes discussões sobre a Maratona de Boston, a maratona mais antiga do mundo, que no último dia 18 de abril completou a sua 115ª edição:

 

1) É uma prova super rápida pelo seu circuito reto e em declividade?

2) Ou é uma prova difícil pela sequência de colinas que exigem muito dos nossos quadríceps?

 

   Para o queniano Geoffrey Mutai, a primeira tese prevaleceu, já que este “guepardo africano” fez a maratona mais rápida da história em 2h03min02!

 

   Para mim, foi a prova mais difícil da minha vida! O sonho de correr Boston começou em 2006, quando fui a Chicago fazer a minha primeira maratona e via o publico incentivando os corredores nas margens do circuito com cartazes para quem almejava conseguir o índice para Boston. No entanto, 18 minutos separavam a minha realidade do meu sonho. Naquela altura da minha vida de corredor, um sonho distante.

   Em 2008, tirei férias e fui correr a Maratona da Disney: eu, esposa, filhas, corrida, diversão… Tem coisa melhor do que isso? Tem sim: saber que nossos sonhos estão mais próximos de se tornarem realidade! Terminei a prova a 8 minutos do índice, mas ao encontrar a minha esposa eu disse: “…consigo correr Boston!” E onde conseguir o índice? Em Chicago, onde tudo começou e por ser um circuito plano!

   Quando faltavam uns dois meses para a Maratona de Chicago, tive uma contratura muscular que me obrigou a substituir os treinos de corrida por treinos de bicicleta e fisioterapia por duas semanas. A primeira coisa que veio à minha cabeça foi o meu sonho ficando um pouco mais distante, já que iria chegar em Chicago em uma condição talvez não tão boa como imaginada inicialmente. 

   Sempre teremos adversidades em nossas vidas na busca dos nossos objetivos. E lá fui eu para Chicago com minha esposa – a maior incentivadora. Na feira de retirada do kit, quis pegar uma pulseira de tempo com um “pace” mais lento do que o índice para Boston, mas a minha esposa não deixou: “…não viemos aqui em busca de um objetivo? Então, pode pegar a pulseira certa!” Felizmente acabei fazendo um prova muito boa e cruzei a linha de chegada com quase 2 minutos e meio abaixo do índice requerido! 

   A realização dos nossos sonhos e metas está muito mais próxima do que imaginamos. Temos que ser realistas nas escolhas, planejar, priorizar, estabelecer prazos e mecanismos de avaliação. Como todos somos movidos a isso, um dos meus sonhos agora é voltar a Boston, mas o problema é que os critérios de qualificação estão se tornando mais restritivos. Que bom. Caso esse outro sonho se realize, terá um gostinho ainda mais especial!

 

Luiz Barros

 

BOSTON - THE  FASTEST  MARATHON  EVER

CORRIDA - SAÚDE - TRIATHLON - CAMINHADA - MUSCULAÇÃO - TREINAMENTO FUNCIONAL - HEALTH COACH - PERSONAL TRAINNING - QUALIDADE DE VIDA

Proudly created by Fita Baesa - 2015  ©